Saiba como limpar a moto e o capacete corretamente!

Entenda quais são as principais recomendações para higienizar corretamente sua motocicleta

Lavar a sua moto com frequência é essencial não apenas para deixá-la apresentável, mas também para que ela continue tendo um bom funcionamento e rendimento. Por exemplo, quem mora em regiões litorâneas e sofre o efeito da maresia, precisa lavar a moto com maior frequência. O mesmo vale para quem tem a estrada de terra em sua rotina.

Tem dúvidas sobre o que deve ser feito para lavar corretamente a moto e o capacete? Saiba quais são as principais instruções abaixo.

Como lavar a moto corretamente?

Existem algumas dicas importantes para realizar a limpeza da moto de forma prazerosa e sem causar danos a ela. Antes de iniciar o procedimento, o motorista deve providenciar luvas de pano ou borracha para proteger as mãos, um banco baixo para limpar as partes inferiores e evitar fazer a limpeza no sol, deixando-a sob a proteção da sombra.

Também é recomendado não fazer a lavagem caso o motor ainda esteja quente. Para a limpeza, será preciso utilizar uma bucha macia e um xampu específico para esse tipo de higienização — ou sabão neutro. Não se deve utilizar detergente comum e nem esponjas de aço, pois são abrasivos. Ao esfregar a lataria, faça movimentos circulares sem exercer muita pressão.

No caso da moto, recomenda-se que não se utilize de forma alguma jatos de água pressurizada. Esses jatos são capazes de causar danos na parte eletrônica/elétrica da moto, além de estragar a pintura dela. Com isso, o indicado é optar pelo bom e velho balde de água.

No caso da limpeza de rodas de liga-leve/alumínio, o ideal é aplicar um óleo antioxidante. Após algumas horas, deve-se eliminar o excesso usando um pano, preservando-as da corrosão.

Uma dica valiosa é utilizar o mínimo de água possível ao higienizar partes como lanterna, piscas, farol e painel. Mesmo que esses componentes tenham sido feitos para não permitir a entrada de água, é indicado não correr esse risco, optando sempre por usar um pano ou esponja umedecida para retirar o excesso de sujeira.

A secagem deve ocorrer após utilizar bastante água para retirar todo e qualquer resíduo do shampoo. Já a secagem deve acontecer utilizando um pano macio e limpo. Terminado esse procedimento, deve-se passar o lubrificante específico na transmissão, quando for permitido encerar partes da moto pintadas ou polidas.

Limpeza do capacete

A adequada higienização do capacete também é fundamental, uma vez que isso garante o bem-estar do próprio motociclista. Isso porque a falta de higiene pode contribuir para a promoção de irritação nos olhos, nariz e pele, causar micoses e até mesmo desenvolver doenças respiratórias.

Em muitos casos, isso acontece devido ao acúmulo de suor e da natural descamação da pele, facilitando o surgimento de microorganismos no capacete. Dessa forma, é aconselhável que o motociclista procure higienizá-lo regularmente, cerca de uma vez por semana — sobretudo nos períodos mais quentes do ano.

A limpeza pode ser feita de diversas formas. Se a forração interna for removível, destaque cuidadosamente o forro. A pessoa pode tanto lavar esse forro em uma máquina de lavar, utilizando a opção “roupa delicada”, ou fazer a lavagem manualmente, usando detergente neutro, para não prejudicar o material.

Agora, caso o motociclista tenha um capacete sem forro retirável, ele pode passar um pano úmido com detergente neutro, esfregando nas partes internas. Para ambos os casos, a recomendação é deixar o forro secar na sombra, uma vez que a alta temperatura do sol pode danificar o material, comprometendo a proteção do equipamento.

Outro hábito valioso que o motociclista deve adquirir no seu dia a dia é o de sempre deixar o capacete em locais arejados, diminuindo as chances da proliferação de micro-organismos. Idealmente, ele deve ser colocado com a base voltada para o lado ou para cima, uma vez que é um risco deixar a base dele entrar em contato com bactérias que possam estar em bancadas, bancos e mesas.

O polimento da viseira e do casco pode ser feito com cera, sendo que a parte externa deve ser tratada da mesma forma que a lataria de um veículo. Por fim, é importante evitar o compartilhamento de capacetes com terceiros.