Sono excessivo: o que pode ocasionar?

Com uma população que dorme cada vez menos, o excesso de sono tem se tornado cada vez mais comum

Há um consenso na medicina que diz que um indivíduo adulto deve dormir por volta de 8h por dia — uma média tirada das sete às nove horas recomendadas. Quanto mais velho, menos horas de sono são necessárias, mas nunca menos que sete. Isso porque, segundo especialistas, o corpo precisa de 7 horas e meia até 8 horas e meia para se restabelecer.

Pode parecer que, quanto mais dormimos, mais descansamos. No entanto, não é bem assim que funciona. O sono excessivo também pode ser um indicativo de algo mais sério com a saúde. Às vezes, o cansaço é tão grande que atrapalha até mesmo a pessoa a fazer suas atividades diárias ou manter seus cuidados noturnos — mesmo que, na noite anterior, ela tenha dormido mais do que o necessário para um adulto.

Entenda o que é sono excessivo e o que pode estar por trás dele.

Sono excessivo o que pode ocasionar

Afinal, o que é sono excessivo?

É a dificuldade que um indivíduo pode ter de se manter alerta ou acordado durante boa parte do dia, além de uma necessidade quase que incontrolável de dormir fora do horário convencional, que pode variar de um indivíduo para outro. O problema é clinicamente chamado de sonolência excessiva diurna (SED) ou hipersonia.

Segundo a clínica Instituto do Sono, a principal característica que diferencia o sono excessivo do cansaço comum é sentir sono em horários fora do convencional por, pelo menos, três meses.

Tipos de sono excessivo

A sonolência pode se manifestar de diversas formas — desde uma simples distração até lapsos incontroláveis e comportamento automático (o indivíduo faz suas atividades mecanicamente, sem prestar atenção no que está fazendo). O problema se torna patológico justamente quando a intensidade é mais grave e prolongada por três meses.

O sono excessivo também atrapalha a concentração, a memória e o humor (é comum que o indivíduo sofra de irritabilidade). Como consequência, as chances de sofrer com acidentes de trânsito e de trabalho são maiores.

Quais as causas do sono excessivo?

Há diversos motivos por trás do problema. Conheça alguns:

Hábitos inadequados

A sonolência em horários inadequados costuma ser mais comum e intensa entre pessoas sedentárias, com sobrepeso, fumantes, que bebem com muita frequência ou são usuárias de narcóticos.  

Diabetes

O indivíduo com diabetes não vai necessariamente sofrer com sono excessivo — quem trata o problema consegue ter uma vida tranquila. Mas a diabetes descompensada, que ocorre principalmente entre pessoas que não seguem o tratamento médico, costuma causar cansaço descontrolado.

Nesse caso, é preciso procurar tanto o endocrinologista, que vai solicitar os exames de glicemia em jejum, e o teste da curva glicêmica, quanto o nutricionista, que desenvolverá uma dieta adequada ao resultado do exame. O indivíduo também precisa seguir o tratamento continuamente.

Apneia do sono

Apneia é um distúrbio em que o indivíduo para de respirar durante o sono. O problema pode acontecer uma ou várias vezes durante a noite, o que acaba atrapalhando o descanso. Por isso, é comum que ambos estejam atrelados.

A característica mais comum da apneia é o ronco. Para saber se sofre do distúrbio, o paciente deve passar pela polissonografia — exame que avalia a qualidade do sono.

Falta crônica de sono

É fundamental que o organismo tenha um sono prolongado e, principalmente, que ele ocorra durante a noite. Isso porque o relógio biológico relaciona escuridão à hora do sono, enquanto a claridade indica a hora de acordar. 

É por isso que quem trabalha durante a madrugada recebe um adicional noturno — é uma forma de compensar quem está atuando em um horário no qual o organismo foi programado para descansar.

Doenças e transtornos mentais

Existe uma série de doenças e transtornos que comprometem a qualidade do sono. Veja algumas:

  • esclerose múltipla;
  • mal de Parkinson;
  • hipotireoidismo;
  • esquizofrenia;
  • cardiopatias;
  • fibromialgia;
  • depressão;
  • dor crônica;
  • obesidade;
  • ansiedade;
  • infecções;
  • câncer;
  • lúpus.